Um segredo para a vida: respeitar a vibe alheia

Manter o respeito à vibe alheia é a atitude que ajuda a manter a boa convivência entre pessoas. Certamente você já presenciou pessoas entrando em conflito “do nada”. Pessoas amigas, casadas ou até que trabalham juntas há anos. Você até achou muito estranha essa situação. Pode até mesmo, ter sido você, a envolvida nisso.

Há quem chame isso de “problema de comunicação”. Eu vou mais além: é não respeitar a vibe alheia.

Imagine a situação: Bebel está concentrada, fazendo planilhas que exigem dela o máximo de atenção. A gerência dela solicitou a planilha até o fim do dia e são 16:00. Ela tem duas horas para terminar a tarefa e está nisso desde que voltou do horário de almoço.

Bebel se desligou dos diálogos ao seu redor, no setor e está concentrada em sua tarefa. Ela está tranquila, calma, não se irritou hoje. Então vem Joana, de outro setor, irritada com um erro que não foi de Bebel e despeja em Bebel.

Trocentas palavras por minuto, xingando Deus e o mundo. Bebel estava ligada nos 127 w. Joana está ligada nos 520 w. Bebel então é dura, curta e grossa com Joana, diz que vai verificar quando puder. Joana sai da sala, não entende o motivo daquela atitude e se acha injustiçada.

Os colegas de Bebel, depois que Joana sai da sala, dizem que Joana é maluca e está estressada, precisando de férias. Bebel após esse “show” de Joana, leva alguns minutos para voltar a sua concentração, mas precisa tomar uma água para voltar à calmaria de antes e terminar o trabalho.

Quem está errada? Houve problema de comunicação? Quantas vezes você já viu isso acontecer?

Isso é um caso clássico de não respeitar a vibe alheia. Uma pessoa, transtornada, vem com um espírito de confusão. Irritada, atrapalha o trabalho da colega e das pessoas próximas à ela. Bebel acabou tendo uma reação que não queria e que não é do feitio dela. Tudo, por que Joana não soube respeitar a vibe de Bebel.

Nunca chegue à presença de alguém, despejando mil palavras e reclamações, sem saber se a pessoa pode ouvir.

Você não sabe como a pessoa está, em que espírito ela está. Se ela pode te ouvir, se pretende te ouvir, se quer e pode dialogar. A reação dela será, na maioria das vezes, de se defender mesmo. E de forma abrupta. Ela precisará te mostrar que naquele momento, não pode lhe dar atenção devida.

Ao se dirigir a alguém, vá em silêncio. Se aproxime dela com respeito. Espere que ela dê sinal de que pode lhe ouvir – pode ser por um olhar, uma frase como “pode dizer, estou ouvindo”, um sorriso e assim, você saberá que ela pode analisar o que você precisa e seguir o diálogo ou solucionar a pendência.

Isso é respeitar a vibe alheia. Algo simples, que evita conflitos desnecessários e mostra que você tem educação e respeita a pessoa. Seja no trabalho, na faculdade, em casa… Não importa onde. Tratando-se de iniciar um diálogo que não seja corriqueiro – atendimento como lojas, bancos e etc – tenha a inteligência de interromper o silêncio alheio com cuidado e a certeza de que a pessoa está disposta a te ouvir.

Vários conflitos são iniciados diariamente pela falta de respeito à vibe alheia.

Lembre-se: sendo pessoalmente ou virtualmente, você não sabe como a pessoa está. Não pode exigir atenção e providências, desandar a falar e cobrar. Respeite a pessoa, o espírito, a vibe dela. Isso é fundamental para o sucesso do diálogo.

 

Este artigo foi feito para o site O Segredo, onde sou colunista desde fevereiro de 2016.