Precisamos falar de músicas abusivas disfarçadas de fofinhas

É, tem muitas músicas abusivas disfarçadas de fofinhas por aí. Sou muito fã de música. Amo MPB, pop rock, pop funk e até ouço sertanejo. Não vou negar que é bom tomar um goró e ouvir uns modão.

Ouvindo essas músicas eu nunca tinha observado os absurdos das letras. E isso é um perigo. Você ouve, canta e até twitta, compartilha vídeo do youtube, achando que é fofa e romântica.

Não são só as sertanejas. Várias são abusivas. E machistas. Nós, mulheres, precisamos ter um olhar atento a isso.

Mas não é. São letras abusivas disfarçadas de fofinhas. Foi em uma conversa do twitter – imagem abaixo – que acordei pra isso. E olha, é assustador mesmo!

Muitos usuários do twitter entraram na conversa e perceberam que que é verdade. O usuário Walter citou as músicas ‘Senha do celular’ e ‘Ciumento eu’ da dupla Henrique e Diego.

Elas têm trechos como “Se não deixa pegar o celular é porque tá traindo. E tá mentindo. Alguma coisa tem”. Lembrete: o celular é particularidade da pessoa. Não tem que ser revistado.

Outro trecho preocupante da mesma música: “Eu fui na sua página e no seu WhatsApp. Vi suas mensagens todas”. Lembrete: isso é invasão de privacidade. Não se faz isso com ninguém.

A música é ao estilo “sofrência”. Muita gente ouve e gosta. Mas ela da turma das músicas abusivas disfarçadas de fofinhas. Na outra letra da música ‘Ciumento eu’ eles vão além.

Falam em “Tem uma câmera no canto do seu quarto. Um gravador de som dentro do carro”. Nome disso na minha terra é “criatura doente”. Não é “excesso de cuidado” como eles dizem na música. É doença.

Aí os namorados malucos que ouvem isso, acham normal. Passam a fazer com as namoradas. Cuidado, moças! Isso é abusivo! Printei algumas respostas da conversa no twitter, de pessoas que assim como eu, ficaram abismadas:

 

Em uma música da dupla Henrique e Diego, a ‘Vidinha de balada’, mais sinais de que as frases são abusivas disfarçadas de fofinhas. Trechos como “Oi, tudo bem? Que bom te ver. A gente ficou, coração gostou não deu pra esquecer. Desculpe a visita, só vim te falar: tô afim de você e se não tiver cê vai ter que ficar”.

Sabe quando você lê a coisa com outros olhos e percebe o absurdo que tanto cantou? Eu fiquei assim! Deixei um print da música abaixo:

 

Muita gente comentou o post. É algo que atualmente “é normal”. É cantado, usado como legenda nas fotos de casais. Mas precisa ser revisto. Nós temos que ter um olhar diferenciado pra esse tipo de letra.

Tem também uma letra do Munhoz e Mariano que até sugere um estupro. Sim, pois ele diz na letra, que a moça passa por ele e finge não o ver.

Parece fofa, lindinha. Mas é abusiva, veja a letra:

 

Outras músicas e comentários:

 

 

 

Se até hoje você não tinha percebido, moça. Tudo bem. Mas a partir do momento em que leu esses trechos, sugiro fazer uma limpa em sua playlist. Não é problema não ter percebido. E sim, achar isso normal.

São letras abusivas disfarçadas de fofinhas e você pode estar vivendo isso. Você reclama com as amigas. Desabafa naquele grupo do face que ninguém te conhece.

Relacionamento abusivo só tem um resultado: violência contra a mulher. Não leve adiante. Termine. Coloque um ponto final.