Lingerie Day: A mulherada nua e a macharada aplaudindo!

Há quem diga que o Lingerie Day é liberdade, feminismo e empoderamento feminino. Mas nem de longe, com muita vontade é isso. Se expor na vitrine do twitter seminua e aguardar aplausos e likes dos machos de plantão, é se sujeitar ao que eles criaram e esperam que você faça.

Feminismo e empoderamento feminino, não inclui você precisar tirar a sua roupa pra assim, ser aceita e elogiada. E liberdade não é fazer selfie seminua esperando o resultado ansiosamente.

Muitas meninas são fortemente criticadas nesse dia e acabam até excluindo a conta no twitter. Isso é bem sério: você se expõe completamente e fica ali, à mercê do que os “senhores machos” acham ou deixam de achar.

Frases nas legendas das selfies do Lingerie Day como “postei e saí correndo”, “postei se não tiver muitos likes eu apago”, “estou gordinha mas tá valendo” – em fotos onde a menina nem barriga tem; mostram que isso é fruto do patriarcado.

A partir do momento em que uma mulher se sujeita a fazer fotos dessa forma para agradar aos machos de plantão, isso é qualquer coisa. Menos feminismo.

Na verdade, isso é fruto da nossa atual cultura emocional, que padece dia a dia. Uma cultura que anda bem capenga. A de ser aceita, a qualquer custo. Se tem que tirar a roupa pra ter likes e mais seguidores, vamos tirar. Se precisa postar histories a cada cinco minutos para ter mais engajamento dos usuários e ter mais plateia, vamos postar.

Isso é fruto da superexposição na internet em busca de aceitação. Você não precisa tirar a roupa e se fotografar em frente ao espelho, pra se sentir linda. Você já é linda!

Os likes, elogios e aplausos da macharada que “se senta” na plateia no dia do Lingerie Day no twitter, só querem é isso mesmo: fotos e mais fotos de mulheres seminuas.

Fazer umas fotos com lingerie porque você quis. Porque é modelo alternativa. Porque se ama e publicar em suas redes; tudo bem. Não é disso que estou falando. Você pode até fazer book nua quando estiver grávida, se assim, decidir.

O seu corpo te pertence e você faz com ele o que VOCÊ quiser. O Lingerie Day não é o seu querer. É o que os outros vão achar. É a quantidade de likes e seguidores que você vai ganhar.

São 15 minutinhos de fama por uma foto praticamente sem roupa. Nesse quase feriado no twitter, que é o Lingerie Day, mulheres se expõe em troca de curtidas. Você se expõe, eles se acham donos do seu corpo e assim, a cultura do estupro é perpetuada.

Não pense que isso é estar livre. Estar livre é fazer isso sem precisar de likes, aplausos e comentários da macharada. Entende? Tudo que você faz, expondo o seu corpo, mostrando-se como objeto, só te torna mais próxima ao machismo.

Você, moça, não prova ser dona de si, se expondo no Lingerie Day. Você prova ser dona de si, não dependendo desse tipo de foto pra ser aceita. Fazendo-se de objeto de desejo, você só deteriora mais a nossa imagem.

Entende a diferença?

Tem praticamente um abismo entre uma atitude e outra! Não sejam ingênuas de achar que o Lingerie Day é feminismo e liberdade. Isso é o resultado da supremacia masculina sobre nós, mulheres.

Passou um tempão desde a queima dos sutiãs na década de 70. E você segue, com celular que faz tudo, frente ao espelho, fazendo exatamente o que os homens esperam que você faça. O Lingerie Day nada mais é que a vontade da macharada sendo saciada.

 

Se você der um google aí em Lingerie Day, os primeiros sites que surgem na pesquisa, comentando e fazendo listão de fotos, são direcionados ao público masculino!

Preciso falar mais alguma coisa?