11 ideias que tive pra gerar grana e deu certo!

Sei, gerar grana não é fácil. Nas férias ou desempregada, precisando de verba, tomei algumas atitudes. Sabe aquela mocinha, filha de pai e mãe que lhe pagam uma senhora mesada? Que pagam o cartão de crédito quando a filha não consegue pagar?

Sempre quis isso! Nunca tive! E não tenho inveja de quem tem pai e mãe que pague as contas. Só penso que na próxima encarnação, eu podia ter essa regalia.

Não estou falando de milhões, pois pra isso, tem muita gente aí que ensina. Se der certo, me avise! Estou falando de uma grana para segurar as pontas enquanto o emprego não surge ou para dar aquela completada no salário.

 

Aí vão as minhas 11 ideias pra gerar grana e que deram certo, pois tive outras que não deram. Desde a minha adolescência até os dias de hoje:

 

1. Passei a usar o salão/estética só para o indispensável

Essa eu faço até hoje! Aprendi a fazer unha na adolescência e sigo fazendo. É bom fazer na estética? Claro que é! Mas quando o assunto é gerar grana você precisa saber onde não gastar.

Agora adulta, pagando faculdade e me apertando daqui e dali, corto cabelo e faço tintura em casa.

 

2. Aos 11 anos fazia toalhinha de ponto cruz pra vender

Eu queria desde cedo ter a minha própria renda. Esse foi meu primeiro negócio, digamos assim. Fazia as toalhinhas, ia para a porta das escolas e vendia, pegava encomendas. Dava uma graninha legal. Fiz até cartões!

Adorava bordar e naquela época vendia bem. Hoje claro, o ponto cruz foi substituído por máquinas. Mas você pode adaptar isso para outra costura, outro artesanato. Tem milhões de vídeos no youtube, grupos no facebook com pessoas que ensinam.

 

3. Aproveitava as férias ou o desemprego para trabalhar de vendedora

Ganhava salário e uma boa comissão sobre cada item da loja que vendia. Anualmente, no fim do ano eu estava por lá. Trabalhava por uns dias e fazia uma boa grana na minha adolescência.

 

4. Conseguia freela para eventos

Tinha uma amiga que fazia festas. Andava o fim de semana com ela a ornar eventos e festinhas infantis. Ela gostava de mim, pois eu dizia que ia e ela podia contar comigo. Era uma diversão o trabalho com ela.

 

5. Passar roupa na casa de amigas

Elas trabalhavam o dia todo, tinham filhos. Na época eu precisava gerar grana pra comprar meu primeiro veículo. Uma Honda Biz zero km e todo dinheiro do mundo contava.

 

6. Fiz doces pra vender na escola

Fiz curso de doces com uma senhora doceira, amiga da minha avó. Esse foi o que deu mais certo. Mas tive que parar, porque comia meu estoque – risos! Aí percebi que não ia dar certo.

 

7. Fazer e vender bijuterias

Pra quem tem habilidade com artesanato, fazer bijuterias é diversão. E sim, gera grana mas você precisa movimentar rápido as peças, pois a moda muda a cada estação. Depois que faz clientela, nesse mundo de instagran, fica fácil seguir vendendo.

 

8. Vender películas de unha pelo Mercado Livre

Que mulher não gosta de estar com as unhas lindas? Sim, algumas, claro. Tudo bem. Mas a maioria ama cuidar das unhas. E pra gerar grana compro direto do fabricante e revendo para amigas, colegas da facul e pelo mercado livre.

 

9. Vender parte das roupas que não uso mais

Boa parte delas eu faço doação. Mas sempre separo algumas para vender. Pelo facebook é fácil de fazer isso. Usando os grupos de vendas. Você posta uma foto bem legal, coloca preço, onde entrega, se aceita troca ou não. E pronto! É só combinar onde entregar e gerar grana.

 

10. Escrever artigos como freela

Amo escrever e há quase 3 anos uma agência de marketing de São Paulo viu um antigo blog meu – hoje eu tenho outro – entrou em contato e eu escrevo artigos diversos para eles. É uma boa pra gerar grana já que amo escrever.

 

11. Oferecer assessoria como RH

Essa é minha profissão, assessoro pessoas com edição de currículo, preparação para entrevistas, up grade no perfil do LinkedIn e tem dado muito certo. Mas e a sua, qual é?

 

Vergonha disso? Nenhuma! Sou pobre mesmo, nasci pobre, casei com pobre. Não vejo motivo de vergonha nessas atitudes. Teria vergonha se estivesse devendo por aí, com cartão de crédito estourado e me fazendo de madame pelas ruas ou redes sociais. Ou pior, fazendo algo que vai contra os meus valores.

 

Essas foram ideias que eu tive. Mas você pode ter as suas.

 

No que você é boa? Gosta de artesanato? Corre pro Eduk, pro Youtube. Faça um curso de corte e costura. De doces e bolos – cuidado, se comer o estoque como eu, pode ser que não seja uma boa ideia, essa – risos.

Pode também, oferecer às amigas assessoria para organização de casa e dos guarda roupas. Pode vender tudo que não usa e fazer um bazar em sua casa. Pode vender algo pela internet. Pode passear com os cães do condomínio. Olhar as crianças do prédio.

O mundo está aí, de portas escancaradas pra você! Vai lá, que ele é seu, moça!

 

Esse artigo foi escrito pro site Superela, onde fui colunista por 2 anos entre 2016 e 2017.