7 mentiras que te dizem na hora da sua demissão

O momento da demissão é tenso. De certa forma, doloroso. E a menos que você tenha solicitado, nos causa pensamentos como “o que eu fiz?”, “o que eu não fiz?”, “o que eu deveria ter feito?” e outros do tipo.

Há lideranças que não sabem fazer isso e acabam mentindo mesmo. Talvez por falta de preparo, experiência. Ou até por querer dar motivo pra que a situação pareça menos pior.

Ao ouvir uma mentira, a gente acaba se matando por dentro. Tentando descobrir o motivo da demissão. A verdade, é que um feedback verdadeiro seria perfeito. Mas não é usual esse tipo de conversa nessa hora.

É sua função analisar, avaliar e pesar qual ou quais atitudes culminaram em sua demissão. Pra facilitar essa auto avaliação, listei pra vocês algumas possíveis mentiras. E também, alguns dos motivos pelos quais você foi demitida.

As 7 mentiras que te dizem na demissão:

 1 – Que você não sabe fazer alguma tarefa dentro da sua função

Essa é cruel. Pois quando você ouve, sabe logo que é mentira. E vê também o quanto a liderança diante de você não estava preparada pra fazer isso.

2 – Que os poucos dias eram de teste e talvez te chamem de novo

Essa é pesada. Mas muito falada. Caso você nem chegue aos 30 dias, podem engatar ela. Não existe essa de “teste”. É contratação sem carteira assinada. Que vai continuar assim.

3 – Que a pessoa a qual você substituiu vai voltar para o cargo

O que?! Se a pessoa já foi pra outro setor, aconteceu a famosa “dança das cadeiras”. E isso quase nunca é revertido. Até porque a liderança pediu que a pessoa fosse realocada junto ao RH ou o próprio RH percebeu que isso era uma necessidade. O que vai acontecer é que essa pessoa que te treinou vai treinar a próxima a assumir a sua antiga vaga.

4 – Que o setor será terceirizado

Essa pode até colar atualmente na crise. Mas dependendo do setor, terceirizar é inviável. Cabe a você avaliar a empresa e o setor e ver se é uma mentira mesmo ou não.

5 – Que as portas estão abertas

Você foi demitida. As portas estão abertas pra você ser cliente. Pra voltar como colaboradora, é claro que não! Poderiam estar abertas se você tivesse pedido demissão.

6 – Que a vaga foi fechada no momento

Essa geralmente é usada quando você fica menos que 30. É sinal claro de que a empresa continuou com a vaga aberta quando te contrataram. E agora encontraram o perfil que mais se encaixa. Ou, no pior dos cenários, que algumas das suas atitudes, fizeram com que percebessem que erraram na contratação.

7 – Que a ordem veio “de cima”

Dificilmente um diretor demite. Até porque, quem convive com você, é o seu/sua líder/chefe. É ele (a) quem solicita a sua demissão. Claro, há exceções. Mas na maioria das vezes, é a liderança quem demite e ainda solta essa de “a ordem veio de cima”.

 

Motivos reais pelos quais você foi demitida:

– Choque de perfil com a equipe ou liderança;

– Atrasos frequentes durante os primeiros 30 dias;

– Atestado nos primeiros 30 dias;

– Erros que deram algum desconforto ou prejuízo para a empresa;

– Pedido de dias de folga para viajar durante os primeiros 90 dias;

– Personalidade diferente do perfil da empresa.

 

Se ouvir sobre “reestruturação da equipe” na demissão, ok

Essa é a mais usada. E diante da falta do feedback real, a que melhor se aplica. Afinal, uma demissão é reestruturação da equipe mesmo.  Não se sinta culpada.

Seja lá o que tiver feito, dentre essa lista que eu coloquei, você provavelmente não sabia. Afinal, se soubesse, não teria feito. E a situação atual do País infelizmente, deixa as empresas mais propensas a demissão e corte de gastos.

Muita gente acha que chegar atrasada nos primeiros dias, é normal. É “adaptação”, só que não é. Caso você se atrase por toda a primeira semana, você estará na berlinda. Infelizmente é assim que a “banda toca” na maioria das empresas. A menos que a empresa não tenha um rígido regime de horários – a maioria tem – isso não te causará problemas.

O mundo corporativo é uma selva. As empresas cada vez mais querem os melhores – e isso não quer dizer que você é ruim. É um sinal de que o seu perfil não estava de acordo com o cargo ou com a empresa.

Por exemplo: já tentou avaliar se o seu perfil é de empresa grande ou pequena? Isso faz muita diferença. E pesa no dia a dia. Acaba gerando uma demissão por choque de perfil.

Espere a sua emoção diminuir. Dê-se o tempo necessário para digerir tudo isso. E quando ver que chegou o momento, avalie onde você errou. Como pode melhorar, não errar novamente.

Certamente vai encontrar pontos a melhorar para o próximo emprego. Boa sorte!

 

Esse artigo foi escrito pro site Superela, onde fui colunista por 2 anos entre 2016 e 2017.