Chega de colocar a culpa em Deus ou no diabo

Assumir os próprios erros é difícil. Colocar a culpa no diabo ou em Deus, é mais fácil. Até entendo que as pessoas tenham adotado essa saída. Mas há pessoas que fazem disso uma gaiola por causa das religiões. Se tornam reféns disso: se for coisa boa, foi Deus. Se for coisa ruim, foi o diabo. Como se o mundo todo dependesse dessas duas forças e de mais nada.

Se eu estiver de tênis, deixar o cadarço mal amarrado e cair, a culpa não é do diabo. É minha, por não ter amarrado direito o cadarço. Se após três meses de trabalho, sem deixar de cumprir as regras da empresa, sem colocar atestado, fazendo minhas tarefas da melhor maneira, eu continuar empregada e receber aumento de salário, não é coisa de Deus. Eu que me esforcei, fiz meu melhor e fui valorizada por isso. Fosse coisa de Deus, por que tem pessoas que trabalham anos e anos na mesma empresa, são qualificadas e nunca recebem aumento? Que Deus é esse que abençoa uns e outros não?

É muito vago dizer que foi Deus ou o diabo. Chega a ser deprimente. Claro que Deus nos ouve, faz o que pedimos. Não duvido disso. E o diabo, claro, também existe. Mas ele anda muito ocupado pra me empurrar na rua. Ele tem mais o que fazer! Colocar a culpa de tudo o que acontece em sua vida em Um ou outro, só faz com que você não se auto avalie, não se observe, não perceba onde errou e portanto, não cresça. Muitas religiões ensinam isso atualmente. E como a pessoa que ensina, está em cima de um altar, e assim, “é de Deus”, o que fala e ensina, é o que Deus “está dando direção”; muita gente comprou essa ideia.

Não sou atéia. Acredito em ambos e respeito as religiões. Mas não tenho religião. Pra mim, as religiões, são gaiolas. Gaiolas que as pessoas usam para influenciar as outras. E a única arma que as influenciadoras têm, é a emoção. Acredito que tudo de ruim que eu deixei acontecer ou que sem que eu percebesse, aconteceu; foi por causa das minhas atitudes ou falta delas. A maioria dos problemas que tenho hoje, quem criou foi eu. O diabo não tem nada com isso. E as coisas boas, também são fruto das minhas atitudes. Se pensarmos bem, é até incoerente, esse ensinamento pentecostal de que “Deus é o responsável pelas coisas boas que nos acontecem e o diabo, pelas ruins”. Fosse assim, quando um prédio cai, por exemplo, o diabo venceu! E Deus então, o todo poderoso, permitiu que o diabo vencesse??? Como assim? E as pessoas bem-sucedidas, que têm uma vida estável profissionalmente, são abençoadas por Deus. E Deus gosta mais dessas, que das moradoras de rua, por exemplo. Que Deus é esse, Pai que escolhe entre uns e outros e determina, “esse vence”, “esse perde”?

Aí, algumas dessas pessoas influenciadoras, têm a audácia de dizer “o prédio caiu pra que aquelas pessoas busquem a Deus e sejam salvas”. Oi? Então Deus é um monstrão que derruba prédio pra pessoas irem até Ele? Socorro! Percebem como esses ensinamentos são nocivos? Sempre irão pro mesmo lado: de que as pessoas têm que fazer parte de uma igreja. E entre aas igrejas, existe ainda algo muito pior: as que dizem “só aqui tem salvação! Só quem está aqui, terá a benção de Deus”.

A vida não é um jogo de xadrez, onde Deus e o diabo disputam a vitória. A partir do momento em que você aprender a reconhecer seus erros e aprender com eles, você sai do ciclo de aprendizado que ele trouxe e vai para os próximos. Enquanto colocar a culpa em Deus ou no diabo, você será só mais um refém desses ensinamentos. Cuidado com o que te dizem. Seja avaliador e não mero ouvinte. Pense, raciocine. Será que isso faz sentido? Será mesmo? O que a pessoa está dizendo é o correto? Não seja mero ouvinte que liga o “sim senhor, não senhor” e se permite ser manipulado.